Cheque devolvido motivo 35: O que significa? O que fazer?

Cheque devolvido motivo 35 significa uma possível fraude no cheque. Além da fraude, existem outros elementos que caracterizam a alínea 35 como: rasura no preenchimento, adulteração da praça sacada ou mesmo emitido sem prévio controle ou responsabilidade do participante.

Embora pareça um caso complexo demais é uma situação que pode ser resolvida de forma direta e vou te mostrar como solucionar esse problema agora. Isso sem contar as dicas que separei para você se proteger com mais eficiência. Vamos lá?

Cheque devolvido motivo 35: tudo o que você precisa saber!

Certamente você já sabe que o Brasil é um país que, infelizmente, sofre muitos prejuízos por causa de fraude, não é mesmo?

Você sabia que, segundo a Abracheque (Associação Brasileira das Empresas de Informação, Verificação e Garantia de Cheques), mais de 30% dos cheques devolvidos anualmente tem algo em comum? Em sua maioria, o motivo está relacionado à clonagem, roubo e tantas outras fraudes.

E o motivo 35 está diretamente relacionado à fraude, bem como clonagem da folha de cheque. Além disso, há também a menção de que o cheque foi emitido sem prévio controle ou responsabilidade do participante, que é um cenário onde o emissor provavelmente não tenha autorizado a emissão em seu nome, ou seja, fraude.

“Ah, mas como isso pode acontecer, sendo que entreguei pessoalmente o cheque para o meu credor?”. Simples, da mesma forma que as medidas de segurança passam por mudanças, a criminalidade também se aprimora, e como!

Isso acontece devido ao avanço tecnológico, que possibilita a melhoria das dezenas máquinas de impressão, fato muito aproveitado pelos fraudadores.

Contudo o problema mesmo é que a alínea 35 envolve também outros fatores, como os citados acima.

“Tudo bem, mas como todo o processo fraudulento acontece no dia a dia do mercado?”. Há basicamente duas formas de realizar esse ato criminoso e você descobrirá abaixo!

Leia também: Cheque devolvido motivo 43: o que significa? O que fazer?

Fique por dentro do trâmite de um cheque fraudado

Um cheque pode passar por dois processos de clonagem, que é o mecânico e o manual. Ambos transformam qualquer folha de cheque válida em fraude que atormenta um número imensurável de brasileiros todos os anos.

No formato manual de fraude, os fraudadores utilizam recursos para rasurar, tanto o nome completo da vítima e seus dados, como CPF e RG. Isso tudo é feito em uma folha de cheque verdadeira e original do emissor, onde são substituídas as informações originais por novos dados aplicados. Esse ato abre margem para que uma pessoa com o nome sujo na praça clone a folha de cheque.

Nesse sentido, o nome de outra pessoa é utilizado na clonagem, tornando aquela folha em “aceita no mercado”.

Já no formato mecânico de clonagem, os fraudadores fazem uso de impressão a laser, a qual utilizam nomes de pessoas verdadeiras e fictícias.

Esse já um processo mais complexo, visto que há menor controle do emissor. Isso porque pode acontecer se você passar um cheque, que posteriormente é repassado aos fraudadores. Então, eles pegam todas as informações do seu cheque, cliente real, e aí realizam a emissão de incontáveis folhas falsas em seu nome.

Viu só como pode se tornar uma grande dor de cabeça? Mas não se desespere, pois vou mostrar como solucionar esse problema, acompanhe!

Leia também: Cheque devolvido motivo 20: o que significa? O que fazer?

Como posso resolver essa situação adversa?

Se você perguntar a especialistas em defesa do consumidor, a maioria dirá que é de responsabilidade da instituição financeira, arcar com todas os gastos, especialmente em casos de fraudes.

Já no código de defesa do consumidor consta que a instituição deve assegurar e garantir a segurança dos seus documentos. Isso implica que a instituição deva dispor de recursos que verifiquem a assinatura de seus clientes, a fim de facilitar a identificação de fraudes e rasuras, sejam elas propositais ou não.

Assim como em praticamente todos os motivos de devolução de cheques, a melhor estratégia é procurar seu banco. Aliás, no primeiro indício de fraude é fundamental buscar ajuda do banco, e se constatado a fraude, cabe até mesmo boletim de ocorrência, essa é mais uma garantia de que o problema será resolvido.

Afinal, é o nome da pessoa que está em jogo, e se você pensa como eu, isso não tem preço, não é verdade?

Leia também: Cheque devolvido motivo 44: o que significa? O que fazer?

8 dicas para se proteger melhor e se ver livre de dores de cabeça

cheque-devolvido-motivo-35

  1. Toda vez que preencher um cheque, cruze-o e preencha nominalmente, especificando o nome do beneficiário que receberá.
  2. Procure não realizar a emissão de cheques para estabelecimento ou pessoas desconhecidos.
  3. Evite ao máximo qualquer tipo de rasura, bem como deixar espaços vazios.
  4. Opte sempre por estabelecimentos que realizem a confirmação da identidade através de documentos.
  5. Lembre-se de preencher os controles de cheques e guarde-os muito bem.
  6. No preenchimento dos valores por extenso, prefira colocar “Hum mil” do que apenas “mil”, dificultando a fraude por um número a mais.
  7. Tenha consigo apenas a quantidade exata de folhas que precisará.
  8. Assim que perceber qualquer sinal de fraude, roubo, extravio e demais problemas, entre em contato imediato com o banco e faça um boletim de ocorrência.

Leia também: Cheque devolvido motivo 70: o que significa? O que fazer?

É muito importante compreender que um cheque devolvido motivo 35 pode ser um grande problema, e resolvê-lo o quanto antes é de seu maior interesse. Tome todas as medidas preventivas mostradas acima, pois evitará muitos problemas, combinado?

Espero ter ajudado com mais esse tema. Compartilhe as dicas! 😊